Canoagem Velocidade Paralímpica


Rio de Janeiro – Brasileiros estréiam na prova de Canoagem Velocidade nas Paralimpíadas Rio 2016. (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A Paracanoagem, canoagem executada por pessoas com deficiência (PCDs), é uma modalidade ainda recente, porém é um excelente esporte a ser praticado, já que dentro de um caiaque ocorre uma igualdade de possibilidades. Juntos, esses têm iguais condições de liberdade para locomoção, sendo que o desempenho técnico e físico depende exclusivamente da própria pessoa. Logo, podemos dizer que dentro de um caiaque as deficiências não aparecem ou são reduzidas.

O praticante pode usar adaptações que auxiliem a sua pratica, sendo ela por segurança ou na melhora do seu rendimento. Estas adaptações podem ser nos barcos ou externas, ou seja, gestos, comunicação por sons especiais, etc.

Em todos os casos, a Paracanoagem pode servir para lazer, recreação e/ou competição. Observando-se alguns aspectos de segurança e tendo um conhecimento da deficiência, todo clube, associação ou escola de canoagem pode atender a pessoa com deficiência.

 

Pela primeira vez nos Jogos Paralímpicos de Verão a Canoagem de Velocidade será disputada no Estádio da Lagoa. A história do esporte começou recentemente. Em 2009, a Federação Internacional de Canoagem (ICF, em inglês) iniciou um programa para levar o esporte  a todos, com o objetivo de incluir suas disputas em 2016.

Em 2010, 31 países levaram participantes ao Mundial de Paracanoagem Velocidade de 2010, na Polônia. Naquele mesmo ano, o esporte teve sua inclusão aprovada no programa paralímpico a ser disputado no Rio de Janeiro.

O esporte será disputado  na modalidade Paralímpico tem uma dinâmica similar à disputa Olímpica, ou seja, vence o mais rápido na sua bateria. O formato da competição varia de acordo com o número de participantes, com classificação direta às finais e repescagens para decidir quais serão os atletas garantidos na corrida final, que vale as medalhas.

Identificados pela letra K, os barcos utilizados são os caiaques. Cada embarcação tem suas adaptações de acordo com as habilidades funcionais de seus tripulantes. E atletas com qualquer tipo de deficiência físico-motora podem participar da competição.

Na competição da canoagem Paralímpica, as classes funcionais são três: LTA, onde o atleta utiliza braços, tronco e pernas para auxiliar na remada; TA, na qual o atleta utiliza apenas o tronco e os braços; e A, em que o atleta só tem a possibilidade de utilizar o movimento dos braços.

 

ARQUITETURA ESPORTIVA

Os eventos são sempre realizados em uma raia demarcada por boias, em linha reta, com 200 metros de extensão. Existem provas masculinas e femininas sendo disputadas em embarcações individuais.

Imagem: BRASIL2016_infosParalimpicosVF_canoagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.