Sobre nosso curso de Arquitetura Esportiva

Date

Neste curso eu te ajudo a entender melhor e de maneira prática a Arquitetura Esportiva, como este nicho funciona e saiba sobre as suas diversas áreas.

Você sabe como surgiu a idéia de fazer nosso curso de Arquitetura Esportiva?

Eu desde pequena pratiquei diversos esportes, completamente diferentes, gostava de mudar e aprender algo novo, era desafiador para mim conhecer novas modalidades. Todas as vezes que eu começava um treino novo, eu dizia para meus pais que ia para as Olimpíadas praticando aquele esporte. Passava um tempo, eu trocava de modalidade, a verdade que eu sempre queria ter o prazer de fazer algo novo pela 1a vez, gostava de ser diferente. Os anos se passaram e eu entrei para a faculdade de Arquitetura, um dia minha mãe me convidou para uma palestra de Arquitetura Esportiva na ONG que ela faz parte, ele trabalhava projetando estádios. Foi quando eu descobri o que eu iria fazer para o resto da minha vida, ser uma Arquiteta Esportiva.

Resolvi tentar um estágio que eu pudesse trabalhar com esse nicho, me indicaram para trabalhar com a equipe de Arquitetura que estava projetando a Copa de 2014, aonde eu trabalhei por 5 anos. Depois desta oportunidade fui para a Rio 2016, para integrar a equipe que estava projetando as instalações esportivas dos Jogos Olímpicos. Trabalhei na Rio2016 por 4 anos, sendo a responsável pela Arena de Vôlei de Praia. No dia da final, quando o jogo acabou e fomos campeões, eu me dei conta que aquele antigo sonho de criança de ir para uma Olimpíada, tinha se tornado realidade. Talvez eu tivesse migrado por tantos esportes, para conhece-los e hoje ter toda base técnica que me faz conhecer os diferentes esportes e seus espaços para poder projeta-los. 

Luísa Xavier Rosa – Arquiteta Esportiva

Recentemente durante uma entrevista de emprego internacional, quando me perguntaram como eu me via no futuro na minha carreira, a minha resposta foi:

Meu sonho é poder saber que várias crianças e jovens, tiveram uma oportunidade e mudaram suas vidas, praticando esporte em um espaço que eu projetei para elas. Porque eu acredito no esporte como ferramenta de educação e política pública de mudança dentro de uma sociedade. Sonho em ter experiencias no exterior, mas para poder trazer para meu país, como fazer melhor e tornar melhor a condição de vida delas, mesmo que seja um pouco no seu dia. Saber que eu fiz parte para que a vida dessas crianças fosse transformada com oportunidades e educação

Luísa Xavier

Existe algo que me chama neste momento para meu propósito maior profissional, já tem algum meses, que venho conversando com pessoas sobre como eu poderia, unir meus clientes (os Institutos e ONGs) dos projetos sociais que faço arquitetura voluntária aos financiadores dos projetos, para que as construções e reformas saíssem do papel. 

Eu tenho muitos arquitetos e alunos de arquitetura que me procuram pelas redes sociais, para saber mais sobre o tema e como ajuda-los em questões dos projetos de Arquitetura Esportiva. É um assunto que não é falado nas faculdades de arquitetura e não existe curso de especialização ou pós-graduação nesta área. Decidi então, montar um curso sobre Arquitetura Esportiva, para que cada vez mais arquitetos conheçam o assunto, tenham um aprendizado técnico e entendam as diversas possibilidades que esse nicho pode gerar. 

Eu acredito que todo conhecimento dividido possa gerar mais espaços esportivos espalhados pelo Brasil de boa qualidade e com um uso adequado, e, isso auxilie todos os professores e educadores a terem melhores ambientes e infraestrutura para seus alunos. A idéia do curso, é ser uma ferramenta de ensino. Ao fim dele espero que você possa entender como começar um projeto de arquitetura esportiva, quais os pontos que devem ser levados em consideração para cada caso e onde conseguir todas as informações para concretização do seu projeto.

Acesse nossa página de cursos: https://www.winarquitetura.com.br/cursos/

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

VEJA
TAMBÉM